SAIS
A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N
| O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z |

Epinefrina, sulfato  ( Broncodilatador )
Adrenalina, Dyspné-Inhal, Epinefrina

Apresentação: ampolas de 2 ml; ampolas de 1 ml com 1 mg. Conta-gotas de 6 ml para pulverização.

Mecanismo de ação: ocorre neurotransmissão, o efeito é transmitido através dos receptores alfa e beta. O efeito nos receptores inclui vasoconstrição, contração do músculo dilatador da íris. Broncodilatador, diminuição da produção de humor aquoso.

Início do efeito: S.C.: 5 a 10 minutos; I.M.: 5 a 10 minutos; I.V.: imediato; inalação: 3 a 5 minutos.

Nível Sangüíneo: S.C., I.M., I.V. e inalação: 20 minutos.

Indicação: I.V.: tratamento profilático de parada cardíaca, bloqueio AV, urticária, edema angioneural, ataque de asma, broncodilatação. Aerossol: ataque de asma.

Reação Adversa:
SNC: tendência suicida ou homicida, tontura, ansiedade, medo, palidez, desorientação, perda da memória, agitação psicomotora, alucinação, inquietação, sonolência, tremor, insônia, convulsão, depressão no SNC, sintomas de paranóia.
VISÃO: fotofobia, visão turva, hipersensibilidade ocular, dor no olho.
SCV: fibrilação ventricular fatal, hemorragia subaracnóide ou cerebral, aumento da pressão sangüínea, podendo causar ruptura aórtica, angina pectoris, obstrução da artéria central da retina.
SGI: náusea, vômito, anorexia.
SGU: diminuição do débito urinário, retenção urinária, disúria, espasmo vesical.
OUTROS: queimação transitória durante a administração, cefaléia.

Interação: Agente betabloqueador: o uso concomitante diminui a estimulação cardíaca e broncodilatação.
Propranolol: diminui a hipertensão com propranolol.
Clorpromazina: diminui o efeito vasopressor.
Metildopa: diminui o efeito anti-hipertensivo.

Conta-indicação: contra-indicado para paciente hipersensível à droga, glaucoma de ângulo fechado, choque anafilático, hipovolemia, anestesia geral com ciclopropano ou halotano, arteriosclerose cerebral, insuficiência cardíaca ou renal, taquicardia, isquemia cardíaca, hipertensão, DPOC, diabetes mellitus,pressão sangüínea em gestante acima de 130/80, lactação.
Use cuidadosamente em idoso, paciente com hipertensão intracraniana, angina pectoris, insuficiência coronariana; trabalho de partopode causar hipoglicemia no feto e na mãe.

Cuidados de enfermagem:
1. Monitorize a função respiratória, cardíaca (faça ECG); se for administrado por causa de hipotensão, controle a pressão sangüínea até estabilizar.
2. Se for usado em períodos prolongados, avalie a resistência. Descansar por 2 a 3 dias e recomeçar a terapia.
3. Agitar a solução antes de aspirar.
4. Para prevenir necrose no tecido subcutâneo quando administrado pela via S.C., mude o local da injeção.
5. Administre a dose recomendada porque pode ocorrer reação adversa, ou perda do efeito.
6. Relate e comunique ao médico reações adversas, tais como: sonolência, ansiedade, náusea, vômito.
7. Se ocorrer sonolência e tontura, oriente o paciente para não dirigir veículos.
8. Proteja a droga da luz, altas temperaturas, não congelar, não usar se a droga mudar de cor.
9. I.V.: administre 10 mg sem diluir, por mais de 2 minutos. A droga está sujeita a oxidação.


Pesquisar Medicamentos
©2004-2014 AME / Nelma Rodrigues Soares Choiet Goldenzwaig. Todos os Direitos Reservados. by Guest